Curtir e Compartilhar:

Anos atrás tive uma bomboniere e recebia muitos currículos. Um deles foi entregue por uma descendente de japoneses.

Conversando brevemente com ela, perguntei-lhe o que tinha feito nos anos que se encontravam abertos no currículo. Me disse que estava trabalhando como decasségui. Ao perguntar-lhe porque havia omitido suas experiências no Japão, os nomes das empresas e as funções que desempenhou, respondeu-me que tinha receio desse fato manchar seu currículo.

Disse a ela que, pelo contrário, ter trabalhado como decasségui em uma fábrica japonesa era um diferencial valorizado pelas empresas – motivo de orgulho! Às vezes nos desvalorizamos um pouco, pela “vida de peão” que levamos, mas há muitos pontos positivos que podem ser explorados até numa entrevista de emprego: o mundo reconhece a qualidade e a seriedade das suas empresas japonesas. Na visão do RH, um decasségui aprendeu o conceito de qualidade total, de organização, rapidez e eficiência. Ter trabalhado no Japão, indica que a pessoa pode ter absorvido parte de uma cultura mundialmente admirada. É uma riqueza grande à disposição de todos que aí estão, desde que se abram à essa experiência.

Escrevi no artigo “Porque meus negócios e investimentos não dão certo”, que objetivar apenas o dinheiro como razão de estar no Japão não resolve de fato nossos problemas. Normalmente cria vazios.

Aqui vão 5 dicas de atitudes que vão lhe auxiliar a explorar essa riqueza. Fiz nos 10 anos que vivi no Japão, e foram úteis quando retornei para o Brasil. Espero que possam ajudá-lo também.
Amplie seu networking (rede de relacionamentos)
Participar das associações internacionais ligadas às prefeituras. É uma ótima oportunidade para ter aulas de japonês, além de participar de atividades relacionadas à cultura tradicional. Se você fala um pouco de inglês, poderá conhecer pessoas de outras nacionalidades e treinar o idioma.

Faça amizades com japoneses
Enxergue além do mesmo. Eu nunca imaginei que teria uma fábrica, mas enquanto trabalhava no Japão, buscava entender a gestão, as ferramentas de controle de qualidade, o comportamento dos líderes que faziam a diferença. Por que algumas fábricas iam bem e outras não. Por que algumas linhas tinham desperdício enquanto tudo funcionava bem em outras. E anos depois, tudo isso me levou a um nível maior de exigência e eficiência nos negócios que montei. No Japão, temos oportunidade de trabalhar em empresas de ponta, aprender com elas e trazer esse aprendizado de forma prática para nossas vidas.

Pense e faça diferente
Viajar. Seja de trem, carro ou avião. Planeje, experimente o novo, mesmo que tenha receio se não falar ainda o japonês. O Google tradutor está aí para ajudar. Conheça os ryokans tradicionais, entre em um sentô (banho público), coma aquilo que nunca comeu.  Não fique preso somente ao locais mais badalados, ao lugar comum. Se quer resultados diferentes, faça coisas diferentes, faça isso se tornar um hábito.

Dê sentido à observação
Visitar museus. Apesar de aparentemente ser uma volta ao passado, é uma fonte de inspiração para o novo. Treina o seu olhar e a percepção para formas diversas de perceber as coisas. Faz você enxergar o mundo pelos olhos de outros (no caso, artistas de grande sensibilidade que viveram no passado). Amplia sua sensibilidade e criatividade. E é preciso ter percepção e criatividade para crescer com um negócio ou profissão.

Estudo de mercado
Observar as redes, franquias e as novidades que surgem. Grandes empreendedores trazem ideias do exterior – inspire-se, seja rápido e faça isso também! Se você já teve negócio no Brasil, e sabe que a concorrência é dura, imagine então em mercados maduros e exigentes como o do Japão. Se não tiver um grande diferencial na embalagem, na promoção, no atendimento,  na comunicação e vendas, é difícil sobreviver. Com dinheiro na mão, somos tentados a exercitar nosso poder de consumo, e deixamos de aprender como as lojas, franquias e empresas disputam a mente e o bolso do consumidor. Se você pretende abrir um negócio no Brasil, e já tem uma ideia do segmento que pretende investir, absorva conhecimento! As tendências do mercado que surgem aí, levam em média 10 anos para chegar aqui. Conheça a fundo as operações, os detalhes, e se inspire para fazer algo incrível quando retornar. Verá que criatividade e ações diferenciadas podem alavancar um capital pequeno, porém ter muito capital sem ideia ou conhecimento, só vai fazê-lo perder o que poupou.

Curtir e Compartilhar: