Curtir e Compartilhar:

TÓQUIO – O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão divulgou que em 2018 um total de 28 pessoas morreram no trabalho por conta do calor excessivo.

A estatística divulgada pelo ministério é duas vezes maior do que a registrada em 2017. Os casos de morte por calor excessivo ocorrem principalmente entre julho e setembro, quando o calor chega com força no país e provocam problemas com a chamada insolação.

A maior parte dos trabalhadores mortos são de áreas que envolvem o uso de força física, como o setor de construção que registrou 10 mortes, sendo o maior grupo de vítimas. Em seguida, aparecem os trabalhadores do setor manufatureiro, com 5 mortes, seguido do setor de transporte e logística com 4 mortos.

Além das mortes provocadas pela insolação, um total de 1.150 pessoas tiraram licença de mais de 4 dias por conta da insolação ou outros problemas relacionados ao forte calor. Em comparação com 2017, o número foi de 620 pessoas a mais, o que representa o recorde dos últimos 10 anos.

Com a proximidade do verão e as temperaturas elevando em todo o Japão, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão alertou para que as empresas estejam em alerta para o problema e façam o possível para ajudarem os seus funcionários durante o expediente no verão.

Fonte: NHK WEB NEWS

Curtir e Compartilhar: