Curtir e Compartilhar:

BRASÍLIA – O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou em Brasília na terça-feira (14) que a economia brasileira crescerá abaixo o esperado em 2019, registrando alta de 1,5%.

A previsão inicial de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) era de 2,5%, mas Guedes declarou durante uma audiência na Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional (CMO) que a economia não crescerá 2,5%, nem 2,0%, como havia sido previsto no mês passado.

O crescimento de 1,5% é uma estimativa do governo federal, mas analistas do mercado financeiro estimam que o PIB crescerá 1,45%.

Sobre o crescimento econômico esperado, Guedes afirmou que a economia brasileira está no fundo do poço e cobrou do Congresso tirar o Brasil da recessão, por meio das reformas propostas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

“Então, não adianta achar que nós vamos crescer por fora, que vamos crescer 3%. Não é a nossa realidade. A nossa realidade é o seguinte: estamos lá no fundo. Agora, está nas mãos da Casa [Congresso Nacional] nos tirar do fundo do poço, com esse equacionamento fiscal”, declarou Guedes.

Com a menor expectativa de crescimento, um novo bloqueio de gastos deve ser anunciado ainda em maio, segundo Guedes:

“Quando cai para 1,5% [a previsão de alta do PIB], as receitas são menores ainda e aí já começam os planejamentos de contingenciamento de verba para frente. Já começam as trajetórias futuras de despesas a serem apertadas, já começa todo mundo a falar: ‘Olha, vai ter que contingenciar’. Não são cortes, são contingenciamento. São preparatórias ainda”, declarou.

O déficit primário estimado pelo governo é de R$ 139 bilhões.

Fonte: G1 

Curtir e Compartilhar: