Curtir e Compartilhar:

NAGOYA – A unidade japonesa da companhia aérea AirAsia Group, da Malásia, disse na terça-feira (17) que entrou com pedido de falência devido ao impacto da pandemia do coronavírus na demanda de viagens, com um advogado dizendo que a unidade não pode reembolsar cerca de 23.000 passagens aéreas.

Ao buscar proteção dos credores, a AirAsia Japan se torna a primeira companhia aérea operando no Japão a ir à falência devido à pandemia. Seu passivo total era de 21,7 bilhões de ienes (US $ 208 milhões), disse a companhia aérea.

Tamotsu Ueno, um advogado nomeado pelo tribunal que cuida da proteção da empresa contra credores, disse em uma coletiva de imprensa que o reembolso não era possível para cerca de 23.000 bilhetes comprados diretamente da AirAsia Japan.

O valor total das passagens a serem reembolsadas é estimado em 520 milhões de ienes, incluindo passagens compradas por agências de viagens.

Ueno também disse que a AirAsia Japan pedirá aos acionistas, incluindo a empresa de comércio eletrônico Rakuten, ajuda com os reembolsos restantes.

Os clientes poderiam receber créditos por outros voos operados pelo grupo, em vez de reembolso em dinheiro, acrescentou o advogado.

A AirAsia Japan que tem sede em Tokoname, província de Aichi, anunciou em outubro que encerraria todos os voos que conectam o Aeroporto Internacional Chubu Centrair com Sapporo, Sendai e Fukuoka e Taipei, até 5 de dezembro.

A companhia aérea econômica relançou os serviços no Japão com novos parceiros, incluindo a Rakuten, em 2017, após a retirada em 2013.

Todos os voos foram suspensos em abril devido à disseminação do novo coronavírus. Retomou os voos domésticos em agosto, mas o número de passageiros permaneceu baixo e todos os seus serviços foram suspensos novamente em outubro.

Fonte: Kyodo

Curtir e Compartilhar: