Curtir e Compartilhar:

DALLAS – O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, voltou a causar polêmica na quarta-feira (15) ao comentar sobre as manifestações contra o corte de verbas na educação.

Bolsonaro está no estado do Texas, nos EUA, onde participa de um encontro com o ex-presidente americano, George W. Bush. Ele comentou sobre a situação no Brasil, assim que chegou no aeroporto em Dallas.

Para o presidente os cortes são necessários, ainda que o governo não queria adotá-los. Bolsonaro criticou os manifestantes.

“É natural, é natural. Agora… a maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, disse o presidente.

Durante a quarta-feira, vários protestos contra o corte de verbas foram feitos nas principais cidades do país. Os manifestantes querem que o governo federal repense o corte de verbas, que para muitos pode ser fatal para o ensino no país. Bolsonaro foi perguntado pelos jornalistas sobre os cortes.

“Não existem cortes. Nós temos um problema que… Eu peguei um Brasil destruído economicamente também. Então as arrecadações não eram aquelas previstas de quem fez o orçamento no corrente ano e se não houver contingenciamento, eu simplesmente entro de encontro, né, à lei de responsabilidade fiscal? Então, este mês não tem dinheiro. É o que qualquer um faz. Não tem, tem que contingenciar. Agora gostaria que nada fosse contingenciado. Gostaria, em especial, educação.”, falou Bolsonaro.

O presidente aproveitou para falar da educação como um todo e alfinetou a política adotada pelo PT nos últimos 13 anos.

“A garotada com 15 anos de idade, da nona série, 70% não sabe a regra de três simples. Qual o futuro dessas pessoas? Qual é o futuro dessas pessoas? Falam porque tão desempregados 14 milhões, sim, mas parte deles não tem qualquer qualificação porque esse cuidado não teve nas administrações do PT ao longo de 13 anos.”, criticou Bolsonaro.

O presidente retornará ao Brasil na sexta-feira (17), até lá mais manifestações são previstas em muitas cidades brasileiras.

Fonte: G1 

Curtir e Compartilhar: