Curtir e Compartilhar:

O número de novos casos diários de coronavírus em Tokyo relatados na quinta-feira (19) chegou a 500 pela primeira vez desde o início da pandemia, com o governo metropolitano elevando seu alerta de vírus para o mais alto dos quatro níveis.

Em todo o Japão, os casos diários de coronavírus ultrapassaram 2.000 pelo segundo dia consecutivo, após atingir um recorde diário de 2.203 na quarta-feira.

A capital confirmou 534 novos casos, marcando um número recorde de infecções diárias pelo segundo dia consecutivo após 493 registrados na quarta-feira.

Osaka, que tem o segundo maior total acumulado, relatou um aumento recorde em um único dia de 338 novos casos na quinta-feira, disse o governador Hirofumi Yoshimura.

O primeiro-ministro Yoshihide Suga disse que o Japão está em “alerta máximo” e pediu às pessoas que façam tudo o que puderem para prevenir infecções.

O premiê disse aos repórteres que gostaria que as pessoas usem máscaras nos restaurantes, tirando apenas para comer e beber, para reduzir o risco de infecção.

Suga também disse que instruiu Yasutoshi Nishimura, o ministro responsável pela resposta do governo ao coronavírus, e a ministra da saúde Norihisa Tamura para tomar medidas adicionais para prevenir a propagação do vírus com base nas discussões em um painel de especialistas de dois dias na sexta-feira.

O nível mais alto do governo metropolitano alerta que as infecções estão “se espalhando”. O alerta de nível quatro foi implementado pela última vez na capital em 10 de setembro, quando foi reduzido para o atual nível três, o que significa que as infecções estão “começando a se espalhar”.

Na semana até quinta-feira, a média móvel da capital para o número de novas infecções diárias atingiu o recorde de 355,1 superando o pico anterior de 346,1 registrado em 5 de agosto.

“Alcançamos uma fase de rápida transmissão”, disse Norio Omagari, diretor do Centro de Prevenção e Controle de Doenças, em uma entrevista coletiva com a governadora de Tokyo, Yuriko Koike, na quinta-feira.

A governadora de Tokyo, Yuriko Koike, fala em uma reunião com especialistas encarregados de monitorar a situação do coronavírus da capital na sede do governo metropolitano. (Kyodo)

Quando as infecções aumentaram em distritos noturnos no verão, o governo da capital japonesa pediu aos restaurantes que reduzissem o horário de funcionamento. Mas as autoridades acreditam que tal medida irá fornecer pouca ajuda neste momento, já que muitos casos foram encontrados em uma faixa maior de grupos de idade e em áreas mais amplas.

Especialistas médicos descreveram o ressurgimento como uma terceira onda de infecções, dizendo que uma das principais causas é a chegada de temperaturas mais baixas e as pessoas passando mais tempo em ambientes fechados sem ventilação suficiente.

Toshio Nakagawa, chefe da Associação Médica do Japão, disse na quarta-feira que não havia evidências concretas de que o programa de subsídios “Go To Travel” foi responsável pelo aumento de casos, mas observou: “Não há dúvida de que agiu como um catalisador. “

O secretário-chefe e porta-voz do governo Katsunobu Kato, disse na quinta-feira que não há mudança na posição de que o Japão continuará a iniciativa de viagens para ajudar a impulsionar as economias locais.

Também houve um rápido aumento de infecções fora das áreas urbanas, como em Hokkaido, um destino turístico popular conhecido por sua forte nevasca. A ilha principal mais ao norte relatou um recorde de 266 novas infecções na quinta-feira, superando a alta anterior de 236 registrada em 12 de novembro, disseram autoridades do governo de Hokkaido.

Fonte: Kyodo

Curtir e Compartilhar: