Curtir e Compartilhar:

TOKYO – O Japão suspenderá seu programa de subsídios “Go To Travel” em áreas com um alto número de casos de coronavírus, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga no sábado (21), em uma reversão de política já muito criticada por focar muito em estimular a economia em meio a números recordes de infecções.

A decisão foi tomada quando o Japão confirmou mais de 2.500 novos casos diários do novo coronavírus, marcando um recorde pelo quarto dia consecutivo, e um dia depois que um painel do governo de especialistas médicos propôs revisar a campanha destinada a promover o turismo doméstico.

Em uma reunião da força-tarefa do governo sobre medidas contra o vírus, o primeiro-ministro disse que a aceitação de novas reservas para viagens a áreas onde as infecções estão se espalhando rapidamente durante a campanha será interrompida.

Yoshihide Suga também disse que o governo pedirá aos governadores das províncias que considerem interromper a emissão de cupons de desconto “Go to Eat”, com o objetivo de encorajar os jantares em restaurantes.

“Para evitar situações que requerem medidas mais fortes, a cooperação das pessoas é indispensável”, afirmou o premiê.

Ao apelar às pessoas para usarem máscaras faciais ao jantar e tomarem todas as outras medidas possíveis para prevenir a propagação do vírus, ele não disse quando começará a suspensão do programa de subsídio de viagens.

Tokyo confirmou no sábado 539 novos casos diários de coronavírus, superando o recorde anterior de 534 registrado na quinta-feira (19).

O primeiro-ministro, que disse que “o máximo de cuidado” é necessário na atual situação do coronavírus e procurou encontrar um equilíbrio entre prevenir a propagação do vírus e revitalizar a economia abalada.

Até sábado, Yoshihide Suga e os ministros encarregados da resposta do governo à pandemia negaram repetidamente a possibilidade de suspender a campanha de viagens.

Após a reunião da força-tarefa, Suga disse aos jornalistas que o governo está empenhado em cobrir os custos dos testes de vírus para pessoas que ficam ou trabalham em instituições para idosos.

Ele também encorajou as pessoas a evitar os 3Cs – espaços confinados, lugares lotados e ambientes de contato próximo.

Não apenas em Tokyo, mas outras áreas urbanas também viram um aumento acentuado de novos casos, com a Prefeitura de Osaka batendo um recorde de 415 infectados no sábado.

Haruo Ozaki, que dirige a Associação Médica de Tóquio, disse que é muito possível que os movimentos das pessoas espalhem infecções. “Gostaríamos que (o governo) suspendesse (o programa)”, disse.

Apesar dessas preocupações, os centros de transporte em todo o país registraram um aumento do tráfego no sábado, o início de um fim de semana de três dias, com os viajantes expressando confusão sobre a reviravolta do governo na iniciativa de viagens.

O aeroporto Haneda de Tóquio estava lotado de famílias, com muitas pessoas em longas filas esperando para passar pelos controles de segurança.

Até o momento, cerca de 40 milhões de viagens foram feitas por meio do programa, com 176 pessoas que se cadastraram no subsídio que foram diagnosticadas com o vírus, segundo o governo.

Fonte: Kyodo

Curtir e Compartilhar: