Curtir e Compartilhar:

As companhias aéreas com sede na Europa estão cortando drasticamente os serviços em resposta às restrições de viagens impostas pelos países europeus que combatem a pandemia de coronavírus.

Suas lutas se intensificaram depois que a Organização Mundial da Saúde disse que a Europa é agora o epicentro da pandemia.

A Alemanha impôs restrições rigorosas na segunda-feira às pessoas que entram e saem do país. Países como a República Tcheca e a Dinamarca estão negando entrada para estrangeiros.

A queda na demanda de viagens foi exacerbada pela decisão dos EUA de impor restrições abrangentes às viagens da Europa.

O Grupo Lufthansa da Alemanha diz que reduzirá seu serviço de longa distância em 90% e sua capacidade de curta distância em 80%. O grupo também anunciou que sua subsidiária Austrian Airlines interromperá todos os voos entre 19 e 28 de março.

O grupo Air France-KLM disse que reduzirá a capacidade em até 90%. Um grupo que inclui a British Airways e a Iberia reduzirá o serviço em 75% ou mais.

A pandemia também está afetando as forças de trabalho das transportadoras. A Scandinavian Airlines demitirá até 10.000 funcionários. Esse número representa 90% da força de trabalho da empresa. A Norwegian Air Shuttle demitirá temporariamente mais de 7.300 funcionários.

Especialistas dizem que algumas companhias aéreas podem acabar precisando de apoio do governo para se manter abertas.

Curtir e Compartilhar: