Curtir e Compartilhar:

O Ministério da Educação do Japão vem estudando mudanças no currículo do ensino médio das escolas do país. Essa semana, várias propostas foram apresentadas e duas chamaram a atenção da imprensa.

A primeira é a criação de duas matérias obrigatórias na grade curricular: História geral e Assuntos públicos.

História geral será uma fusão das matérias História do Japão e História mundial e contemplará o período que começa após a Restauração Meiji (1868). A mudança visa estimular o estudo das relações do Japão com o resto do mundo.

A matéria de Assuntos públicos tem como cenário de fundo a mudança da maioridade de 20 para 18 anos. Nessa matéria os alunos aprenderão sobre política, leis e relações internacionais.

Em relação à história geral, um tema que promete muita polêmica é a questão das disputas territoriais, entre elas a da Ilha Takeshima, com a Coreia do Sul, a das Ilhas Senkaku, com China e Taiwan, e a dos Territórios do Norte, com a Rússia.

Esses três territórios serão apresentados nos livros didáticos como “parte inerente do território japonês” . Contudo, o governo afirma que não deixará de lado as explicações em torno das disputas territoriais.

A segunda questão que chamou atenção da imprensa é que o novo currículo focará no chamado “aprendizado ativo”, que visa criar e desenvolver o senso crítico nos alunos, não se limitando apenas a memorização de fatos e números.

A previsão é que as novas medidas comecem a valer a partir de 2022. Contudo, espera-se que até lá muitas discussões ocorram e possivelmente o projeto definitivo seja diferente do apresentado essa semana.

Curtir e Compartilhar: