Curtir e Compartilhar:

Construindo sonhos no Japão.

Texto por Thaís Nakamine 

Natural de Belém do Pará, Anali Ueoka chegou ao Japão com 17 anos para trabalhar e ajudar os pais com as finanças. Por ser a filha mais velha sempre carregou a responsabilidade de ajudar a família. Anali conta que o Japão não era sua primeira opção de moradia, mas como seu pai que já morava no país decidiu buscar toda a família no início da década de 90, ela precisou abandonar os estudos no Brasil para morar em um lugar desconhecido.

“A adaptação inicial não foi fácil. Estava com 17 anos, cheia de sonhos, planos e muitos amigos. Deixar tudo isso pra trás, foi um baque. Mas era necessário seguir em frente e encarar tudo isso de forma positiva.”contou Anali.

Por ser muito comunicativa e extrovertida, mesmo sem falar direito o idioma, chegou a trabalhar como frentista em um posto de gasolina. Viu que tinha um grande potencial para lidar com pessoas de diversas nacionalidades e gostava disso. Mas para trabalhar fora de fábrica, era necessário abdicar dos finais de semana e muitos feriados. Como se casou e teve três filhas, precisou voltar à rotina de operária para ter mais tempo de cuidar da casa e da família, mesmo que sua vontade fosse ainda trabalhar diretamente com o público. Conforme o tempo ia passando e suas filhas se tonaram mais independentes, a brasileira aproveitava para investir em Marketing Multinível e com isso, foi aprendendo a lidar cada vez mais com vendas, abordagens e relacionamentos interpessoais. Para ela, o Marketing de Rede foi a porta para que pudesse sair da rotina de fábrica e ter a força de vontade para trabalhar no que sempre gostou.

“Quando finalmente minhas filhas cresceram e eu já estava separada, senti que era hora de investir em mim mesma. Não tinha nada mais que me prendesse e eu era livre pra trabalhar nos finais de semana novamente.” lembrou Anali

A Mudança 

Em 2014 surgiu a oportunidade de trabalhar como representante pela imobiliária Daito, com locações de casas para estrangeiros residentes no Japão. Trabalhou por cerca de e um ano e meio, mas como estava se destacando entre os brasileiros nesse segmento, foi convidada Imobiliária Jl Consulting pra fazer parte da equipe. A princípio, seria para continuar locando casas, mas como as vendas de imóveis estava crescendo fortemente no Japão, Koji Muto, fundador da Jl Consulting a convidou para ser vendedora direta.Pra mim, era a grande oportunidade que estava precisando. Era 2015 e as pessoas estavam querendo comprar casas no Japão. Pra quê continuar locando imóveis se eu podia oferecer algo muito melhor aos meus clientes? Eu não sabia falar completamente o idioma japonês, não sabia escrever muitos kanjis, mas tinha algo que seria um fator importante para a minha carreira, que era força de vontade e determinação. Prontamente aceitei o trabalho e desde então tenho me dedicado a crescer cada vez mais como corretora.

O PODER DAS REDES SOCIAIS

Hoje aos 44 anos, é conhecida nas redes sociais como “A Corretora Top das Galáxias“, faz diversas lives interagindo com o público e aproveita esses momentos em que mostra as casas, para conhecer e conversar com seus seguidores. Como vendedora, isso tem sido muito importante, pois fez muitas amizades e ampliou seu networking ao longo dos anos. Porém para ela, o mais importante é poder proporcionar a realização do sonho da casa própria para seus clientes.

É muito gratificante ver o brilho no olhar de quem acaba de adquirir uma casa própria no Japão. Como é bom poder fazer parte dessa realização.

Além de corretora também auxilia os novos funcionários da empresa com treinamento interno e ensina que para crescer como profissional, é necessário saber trabalhar em equipe, mesmo que o trabalho seja individual. Anali tem muitos seguidores na internet e tenta sempre passar muitas mensagens de incentivo para as pessoas residentes no Japão.

“Eu quero que as pessoas tenham oportunidade, assim como tive. Mas para isso, é necessário acreditar em si mesmo. Não ter medo de encarar novos desafios e buscar sempre se qualificar naquilo que faz. Mesmo não sabendo ler o idioma fluentemente, entro em site japonês, procuro casas e vejo que isso não é empecilho pra mim. Sair da zona de conforto é ótimo. Mas para isso, tem que querer. Se você acreditar no seu potencial, chegará muito além do que imagina. Quando temos sonho, por mais difícil que você pareça, jamais desista, pois tentando você pode conseguir a qualquer momento. Sendo mãe solteira de três filhas eu achava que era impossível sair da fábrica e conseguir criar minhas filhas. Mas um dia a oportunidade bateu na minha porta e decidi aproveitá-la. Hoje sei que fiz a melhor escolha, porque posso ajudar muita gente.” concluiu Anali.

Conte sua história também na Revista Super Vitrine e Ipcdigital. 080-5332-1254 (Thaís Nakamine)

Curtir e Compartilhar: