Curtir e Compartilhar:

TÓQUIO (IPC Digital) – O dia dos Pais é comemorado no segundo domingo de agosto no Brasil, no terceiro domingo de junho no Japão, nos Estados Unidos e Inglaterra. É a data em que se homenageia a figura paterna da família. Mas você conhece as origens desta comemoração? Veja como o dia dos pais é comemorado em várias culturas diferentes.

História

Evoca-se também, como origem dessa data a Babilônia, onde, há mais de 4 mil anos, um jovem chamado Elmesu teria moldado em argila o primeiro cartão. Desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai, um rei babilônico famoso Nabucodonosor. Daí tornou-se uma festa nacional. Em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou nos Estados Unidos como Inglaterra esse dia no calendário cristão, o “Dia do Pai” (Father’s Day).

Mudança de comportamento.

Na cultura ocidental a figura paterna não é mais como era antigamente. Se antes o dever era o sustento da família e pouco se envolvia com a criação dos filhos, hoje eles se esforçam para conciliar carreira e a família. Esse pai moderno participa das atividades domésticas e na educação dos filhos.

As culturas judaica, chinesa, indiana, japonesa, cigana e indígena têm como denominador comum a figura masculina do pai como autoridade. “Nestes casos, ele é o responsável pelo sustento, pela educação e até mesmo pela doutrina religiosa”, afirma Guita Grin Debert, professora do Departamento de Antropologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Cultura judaica

Na cultura judaica, a figura paterna é responsável pela educação religiosa dos filhos. Até mesmo em países nos quais judeus são minoria, as famílias resistem às influências locais e permanecem patriarcais, assim, os filhos devem total respeito e obediência ao pai.

Cultura chinesa

Pela tradição, os pais chineses são merecedores de dedicação e reconhecimento dos filhos. Por meio deles, são repassados de geração a geração os costumes sociais e religiosos. Em contrapartida, como forma de agradecimento e respeito à hierarquia, filhos têm a obrigação de sustentar o pai na velhice.

Cultura indiana

Para os indianos, o pai exerce a função de criador de riquezas, estando à frente do sustento familiar. Ele também tem como obrigação repassar ao filho todos os ensinamentos necessários para que seu trabalho continue e garanta o sustento da família.

Cultura japonesa

A sociedade japonesa é guiada pela decisão do homem. Como reflexo, as famílias, muito cultuadas no Japão, respeitam a vontade da figura paterna. O pai ainda é o grande responsável pela educação religiosa e formal dos filhos, sendo reverenciado também pela inteligência.

Cultura cigana

Toda decisão sobre o futuro do filho cigano cabe ao pai, além de supervisionar a educação dada pela mãe às crianças, ele tem a obrigação de repassar a rica cultura aos filhos. Seu poder sobre eles, aliás, só acaba com o casamento.

Cultura indígena

Em tribos indígenas, no Brasil, o pai é considerado responsável pela existência do filho, por isso, o homem passa quase dois meses de resguardo após a mãe dar a luz. Pela crença, durante toda a gestação, o bebê é fortalecido pelas relações sexuais que o homem mantém regularmente com a mulher. Por conta do esforço, é o índio que merece descanso pós-parto, com direito a receber presentes dos companheiros de aldeia.

Fonte: Terra

Curtir e Compartilhar: