Curtir e Compartilhar:

O organismo manifesta o sofrimento emocional ou físico através de vários sintomas, que juntos, levam a diagnósticos de muitas doenças.

A pessoa que tem maior sensibilidade no sistema digestivo, tem com frequência dor de estômago, aftas, dor abdominal, diarreia ou prisão de ventre. No caso da pessoa ter maior sensibilidade no sistema circulatório, pode manifestar o seu estresse com sintomas da circulação sanguínea com dor no peito, palpitação, dor de cabeça principalmente na região nucal, entre outros.

O estresse emocional pode desequilibrar a secreção dos hormônios e causar irregularidade menstrual, disfunção da tireoide, do pâncreas por exemplo, e causar doenças que recebem o respectivo diagnóstico. Enfim, muitas doenças são causadas por situações emocionais e físicas sob pressão, o que chamamos a esta situação de “estresse”.

O importante é perceber estes “sinais de estresse” e retirar ou aprender a contornar saudavelmente a causa dos sintomas.

Frequentemente, as pessoas pensam que doença orgânica é uma coisa, e “problemas da vida” é outra coisa, o que na verdade, uma é consequência da outra e vice-versa.

Por exemplo, um brasileiro que trabalha com um chefe tradicionalmente japonês, que exige pontualidade, perfeição e inclusive, que fale em japonês as palavras básicas da linha de trabalho, pode começar a ter falta de ar, sudorese e palpitação toda vez que se aproxima do local do emprego; dias depois, estes sintomas associados à náusea e dor abdominal podem surgir na noite anterior de ir ao trabalho depois de um fim de semana descansado.

E…, a pessoa pensa, “puxa, eu descansei bem, e me preparei para trabalhar esta semana, e me dá estes sintomas justo agora!” Ela pensa que está com alguma doença grave e vai ao médico fazer os exames, cujos resultados estão todos normais. Mas os sintomas persistem e a insegurança, o medo e ansiedade aumentam. Neste caso, a pessoa entrou no ciclo de uma situação psicossomática (isto é, tem sintomas orgânicos devido ao estado emocional). Um tratamento medicamentoso junto com o suporte emocional ajudaria a superar esta fase.

Porém, o que acontece com frequência em uma consulta médica nos casos

semelhantes ao exemplificado acima, é que se realiza exames para diagnosticar doenças ou excluir outras possibilidades e se faz o tratamento geralmente, medicamentoso, com um antiácido para dor de estômago, um regulador intestinal para um desarranjo intestinal, um analgésico para dores, por exemplo. Ajudaria muito o paciente, se houvesse uma identificação dos sintomas com o estado emocional e exercitar a parte psicológica para o contorno da situação. A medicação é importante, o relaxamento com atividades de prazer (passeios, leituras, filmes divertidos, oração, encontro com amigos saudáveis, esportes, etc.) e também, sessões de psicoterapia com um(a) psicólogo(a) às vezes são essenciais para o equilíbrio da saúde.

Por: Elza S.M.Nakahagi, médica do SABJA-Disque-Saúde do Conselho de Cidadãos do Consulado Geral do Brasil em Nagoia. Autora dos dicionários e aplicativos de Termos Médicos e Odontológicos. (SABJA-Disque-Saúde tel: 080-4083-1096, 050-6864-6600)

Curtir e Compartilhar: