Curtir e Compartilhar:

OSAKA – Muitos estudantes estrangeiros no Japão que esperam encontrar um emprego no país estão enfrentando uma batalha difícil com a crise econômica impulsionada pela pandemia que levou várias empresas a reduzir a contratação de novos funcionários.

O desenvolvimento levanta preocupações sobre um fluxo potencial de trabalhadores estrangeiros promissores, acostumados com a cultura e o idioma japonês, para outros países, enquanto a terceira maior economia do mundo luta contra o rápido envelhecimento da população.

De acordo com uma pesquisa realizada em julho pelo provedor de informações sobre carreiras Disco Inc., 68,5% dos 343 estudantes internacionais que responderam ao questionário e devem se formar em março continuam sem oferta de emprego, um aumento de 9,1 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

O número se compara a 22,3% dos 1.230 estudantes japoneses sem oferta de emprego em julho, de acordo com a empresa sediada em Tóquio.

A International Students Support Network, um grupo que assessora empresas interessadas em contratar funcionários no exterior, disse que a perda de oportunidades de emprego é evidente em quase todos os setores, especialmente nos de turismo e varejo.

“Infelizmente, as indústrias atingidas pelo impacto do vírus também são populares entre os estudantes estrangeiros”, disse Manabu Kubota, secretário-geral do grupo com sede em Tóquio, que trabalha com cerca de 120 universidades para ajudar seus estudantes estrangeiros a conseguir empregos no Japão.

Antes do surto do coronavírus, um aumento no número de visitantes estrangeiros ao país levou muitas empresas japonesas a recrutar estudantes estrangeiros, mas as restrições de viagens impostas devido à pandemia levaram a uma queda de mais de 99%.

A situação está se revelando séria para muitos estudantes estrangeiros da Ritsumeikan Asia Pacific University, na província de Oita, que respondem por quase metade do corpo discente de cerca de 5.700 alunos da universidade, mais conhecida em inglês como APU.

Um estudante indiano de graduação que desejou manter o anonimato por medo de prejudicar suas perspectivas de emprego disse que não obteve nenhuma oferta de emprego em sua busca por uma carreira de vendas em publicidade.

“Em circunstâncias normais, a maioria dos alunos da universidade recebe algumas ofertas até junho”, antes de se formarem no ano seguinte, disse o estudante de gestão de negócios internacionais de 22 anos.

Em outro caso, uma mulher indiana de 23 anos que se formou na APU em março viu sua oferta de trabalho ser retirada por uma empresa de recursos humanos em Tóquio depois que ela se mudou para a capital para trabalhar.

Foto de um seminário para estudantes estrangeiros em busca de emprego, realizado em Tóquio em fevereiro de 2020. (Kyodo)

Isso imediatamente a colocou em dificuldades financeiras. “A empresa cancelou minha casa 10 dias antes do horário previsto para começar. Eu estava preocupada se poderia pagar meu aluguel, pois havia gasto cada centavo para me mudar para cá.”

Ainda assim, ela se considera mais sortuda do que outras pessoas depois de envolver advogados para ganhar uma indenização da empresa por cancelar sua vaga em tão pouco tempo. Enquanto ganhava um salário mínimo na capital em tempo parcial, ela voltou ao mercado de trabalho, na esperança de encontrar outro trabalho em tempo integral no país.

Enquanto o Japão lançou um novo esquema de visto em abril do ano passado para recrutar mão-de-obra principalmente estrangeira em 14 setores, como construção, agricultura e turismo, muitos estudantes universitários estrangeiros buscaram empregos em empresas como casas de comércio, empresas de tecnologia da informação e consultorias.

Kayoko Sato, oficial de suporte de carreira da APU, expressou preocupação com o fato de que as dificuldades atuais possam levar estudantes estrangeiros a buscarem carreiras fora do Japão.

Enfatizando a importância da diversidade e da força que os estrangeiros podem trazer para as empresas e a sociedade, Kubota, da rede de apoio, convocou as empresas japonesas a aproveitarem a oportunidade atual de recrutar estudantes estrangeiros capazes.

“Teremos que fazer todo o esforço para ajudá-los a ficar aqui. Com conhecimento e afinidade com a cultura japonesa, eles desempenharão um papel indispensável para ajudar nosso país a sobreviver”, disse.

Fonte: Kyodo/Munehisa Tokunaga

Curtir e Compartilhar: