Curtir e Compartilhar:

Na tarde do dia 31 de agosto, o Governo da província de Okinawa revogou oficialmente a autorização de aterro da área de Henoko, em Nago, para a construção de uma nova base aérea militar norte-americana, alegando que o governo central não está tomando os cuidados necessários para proteger o eco-sistema marítimo como os corais e o mamífero marítimo “Jungo”. O documento se refere também a uma camada macia de terra descoberta recentemente no local destinada a base.
A autorização havia sido assinada pelo governador anterior Hroyasu Nakaima, que traiu seus eleitores, pois havia sido eleito prometendo não permitir a construção da base de Henoko.
O governador Takeshi Onaga, que morreu no dia 8 de agosto, vinha tomando todas as ações possíveis para convencer os governos japonês e o norte-americano a suspenderem a construção da nova base militar em Okinawa, onde se concentram 70% de todas as bases norte-americanas no Japão. Vinte por cento de todo o território de Okinawa é ocupado por bases norte-americanas.

Governador Onaga lutou até a morte contra a construção da base de Henoko: Não é necessário

O governador Onaga considerava a “revogação da autorização de aterro”, a última cartada para sustar a construção e começou a tomar as providências burocráticas para oficializar a revogação, quando faleceu.
Com a revogação, o governo central teve que parar as obras e estuda uma medida legal para anular a revogação do governo de Okinawa.
Fukuyama, o secretário-geral do maior partido de oposição, se pronunciou dizendo: “temos que respeitar a opinião pública do povo de Okinawa representada pelo governador Onaga, que sacrificou a vida para proteger a paz da população”.

Curtir e Compartilhar: