Curtir e Compartilhar:

TÓQUIO – O chefe do gabinete do governo do Japão, Yoshihide Suga, disse em uma coletiva de imprensa realizada na quarta-feira (29) que o governo do Japão não pretende diminuir o imposto sobre o consumo, atualmente de 10%.

A pergunta sobre o imposto foi feito por um jornalista durante uma coletiva que tratou sobre vários temas, a maioria ligada à pandemia de COVID-19.

“É uma situação que nunca experimentamos antes, então uma parte das atividades econômicas no país e fora dele estão tendo que ser totalmente paralisadas. Atualmente estamos tomando medidas contra a pandemia, enquanto tentamos reativar as atividades econômicas aos poucos. Então, aos poucos o consumo interno mostrará reação”, disse Suga.

O chefe do gabinete disse também que a situação atual é diferente daquela da crise de 2007-2008, que teve caráter predominantemente financeiro.

“A crise de 2007-2008 teve relação com uma rápida redução do crédito para as empresas, o que, mesmo em nossa nação, diminuiu os investimentos em logística e infraestrutura. A crise atual tem uma natureza diferente”, disse Suga.

Depois dessa declaração, um jornalista perguntou sobre a questão da taxa de consumo, atualmente em 10%.

“Os comerciantes e empresários que tiveram uma redução da renda estão sendo beneficiados pelos impostos e o sistema de seguro social. O imposto de consumo é necessário para garantir o sistema de seguro social”, respondeu Suga, mostrando que o governo não pretende baixar novamente o imposto.

Curtir e Compartilhar: