Curtir e Compartilhar:

TÓQUIO – Os grandes bancos do Japão estão traçando planos para digitalizar vários de seus serviços financeiros nos próximos anos, o que resultará no corte de parte de seus funcionários.

O grupo Mitsui-Sumitomo anunciou que pretende cortar cerca de 8 mil funcionários nos próximos 3 anos. A meta é digitalizar parte de seus serviços financeiros, como, por exemplo, o procedimento de confecção de documentos para abertura de empresas para pessoas físicas ou jurídicas. Todo o procedimento poderá ser feito online nos próximos meses.

O Mitsu-Sumitomo está aumentando o número de contratações na área de TI, mas pretende diminuir o de pessoas em posições menos especializadas, como a de atendimento ao público, uma vez que os serviços serão todos digitalizados. A economia para o grupo será de cerca de 100 bilhões de ienes (R$ 5,4 trilhões).

Outro grande grupo bancário que pretende realizar cortes é o Risona Holdings, que reduzirá o número de funcionários em seus bancos de todo o país nos próximos 3 anos, dos atuais 31,8 mil para 3,1 mil.

O movimento dos bancos em direção à digitalização de seus serviços já estava ocorrendo desde 2019, mas com os danos econômicos provocados pelo coronavírus e a crescente entrada de empresas de TI na área bancária, os grandes bancos estão repensando a sua estratégia no setor.

Curtir e Compartilhar: