Curtir e Compartilhar:

A arte de expressar sentimentos através de desenhos.

Texto por Thaís Nakamine

Nascido em Petrópolis, Rio de Janeiro, Marlon dos Santos, também conhecido como Marlon Arts, gostava de desenhar desde criança. Sua paixão pela arte era tanta que chegou a fazer cursos para aprender diversas técnicas de desenhos. Com o passar dos anos começou a fazer pequenas tatuagens, a princípio nos amigos e parentes, mas logo viu que possuía dom para seguir uma carreira nesse segmento. Em 1999, veio ao Japão para trabalhar e guardar dinheiro com intuito de montar o seu estúdio quando retornasse ao Brasil. Ao lado da esposa, Tatiane Omatsu, o casal trabalhava em fábrica e aos finais de semana ele atendia como tatuador na própria residência. Quando sua esposa engravidou do primeiro filho, resolveram voltar ao Brasil pra finalmente abrir seu próprio estúdio.

“Estava empolgado para usar muito minhas técnicas que fui aperfeiçoando no Japão, porém meu estilo é muito japonês, o famoso WaboriTattoo. Não são muitas pessoas do Brasil que curtem esse tipo de tatuagem, por isso não me sentia tão conectado aos meus clientes. Queria ter mais espaço para criar minhas artes e precisava de um público diferenciado. Por isso resolvemos voltar ao Japão em 2007 novamente.”, relatou Marlon.

A VOLTA AO JAPÃO

Quando regressou ao país, sabia que a rotina seria bem mais rigorosa, pois para ser um profissional na arte da tatuagem, é necessário disciplina, trabalhar como aprendiz em um estúdio conceituado para aprender técnicas e experiências com os tatuadores mais velhos. Para isso, foi necessário se desdobrar em três, para dar conta tem de trabalhar em fábrica, se dedicar ao aprendizado e também conseguir cuidar da família, inclusive de mais um filho que estava chegando.

“Pra eu poder chegar onde queria, precisava me dedicar ao máximo. Para você se tornar um profissional renomado e conquistar o público japonês, é necessário muita força de vontade. Não é só aparecer no estúdio nos dias que você pode. É uma rotina diária que duram meses. E você não é remunerado por isso. Tudo começa como aprendizado. Depois que você aprende todas as técnicas, inclusive manuseio de máquinas e esterilização, que você passa a receber.”

Como não sabia falar japonês, aproveitou a época em que a HelloWork oferecia cursos remunerado e se inscreveu em um curso intensivo de japonês. Durante quatro meses, estudou diariamente e seus professores ensinavam um japonês voltado para atendimento, o que facilitou muito para que ele pudesse começar a atender seus clientes sem precisar de ajuda. Com o apoio de um tatuador japonês, muito conhecido como “Sábado”, Marlon finalmente abriu seu primeiro estúdio em Nagoya. Para ele, era a oportunidade de conquistar seu próprio público. Mas o que ele realmente desejava era quebrar a barreira entre estrangeiros e japoneses. Independente da nacionalidade queria ser visto como um artista conceituado. Foi necessário se sobressair dentre os demais tatuadores, já que ele era visto como o “estrangeiro que tatuava”. Porém, como sempre era muito carismático, foi conquistando o público japonês pouco a pouco e quando menos percebeu, os clientes voltavam e procuravam por ele. Aproveitando-se desse carisma, conseguiu carregar boa parte da cartela de clientes que foi conquistando enquanto era aprendiz para dar início ao seu empreendimento próprio.

A OUSADIA DO EMPREENDEDOR

Em 2019, com 22 anos de experiência como tatuador, Marlon deu um passo muito maior em seus negócios e inaugurou a Master Ink Tattoo Estúdio em outro prédio. O local tem quatro andares e foi totalmente reformado com ambiente personalizado. Além de ser um dos maiores estúdios de tatuagem em Nagoya, vai ter espaço para atender pessoas que desejam criar logotipos, marcas e design gráfico personalizados. Estão com projeto de logo no futuro de abrir um bar/Café no primeiro andar para deixar o público mais confortável. Além também de oferecer oportunidade aos aprendizes que desejam ingressar no segmento da arte.

“Assim como tive uma chance, quero dar o mesmo incentivo para pessoas que tenham interesse em aprender mais sobre a técnica da tatuagem. Aqui todos são bem vindos, desde que tenham força de vontade e disciplina.”

Marlon diz que faz parte de um grupo, onde estão criando uma associação para poder legalizar oficialmente a tatuagem no Japão.

“Queremos quebrar essa imagem tão negativa que muitos japoneses têm contra quem usa tatuagem. A tatuagem é uma forma de expressar sentimentos, é uma arte linda e antiga que vem se reinventando a cada ano. É muito triste ver que em pleno século 21 ainda exista preconceito, onde pessoas tatuadas não possam entrar em certos locais públicos. Por isso essa associação é composta por muitos profissionais, inclusive japoneses que estão na luta para tirar a ideologia que a tatuagem é algo marginal.”

MENSAGEM AO LEITOR

“Se você tiver vontade de fazer algo e adquirir uma profissão pra ter seu próprio negócio, primeiramente é necessário muita força de vontade, investir muito em aprendizado, acreditar em seu potencial e não ter medo de errar, pois os erros nos ensinam como ser um profissional melhor. Invista em fazer o bem e ajudar o próximo também, pois as pessoas vão valorizar seu trabalho, sua conduta e ética. Isso é fundamental para que você tenha sucesso na carreira e na vida.”, concluiu o empresário e tatuador.

Conte sua história também na Revista Super Vitrine e Ipcdigital: 080-5332-1254 (Thaís Nakamine) 

Curtir e Compartilhar: