Curtir e Compartilhar:

A Honda desenvolveu uma “máscara” para uso em sistemas de ar condicionado em seus carros que pode bloquear mais de 99% dos vírus transportados pelo ar.

A montadora produziu o produto antecipando a crescente demanda por itens de proteção antivírus devido à pandemia de Covid-19.

Ainda não se sabe se a “máscara” também pode proteger contra o novo coronavírus, pois não há um método estabelecido atualmente disponível para verificar a eficácia do produto contra ele.

O “Kurumask” (máscara do carro) pode ser usado nos miniveículos N-Box da Honda e estão à venda desde o dia 25 de dezembro. A montadora planeja disponibilizar a máscara também para outros tipos de carros.

“Queremos fazer com que os motoristas se sintam seguros e confortáveis, mesmo quando mantêm as janelas do carro fechadas”, disse Takaharu Echigo, responsável pelo desenvolvimento da “Kurumask”.

Os motoristas podem ativar o “Kurumask” cobrindo os filtros do ar-condicionado com o produto e usando a função de circulação de ar para reduzir a quantidade de ar fresco que o sistema de ar condicionado absorve.

Picos microscópicos na superfície da máscara capturam e danificam os vírus.

A “Kurumask” da Honda, quando colocada sobre filtros de ar-condicionado de automóveis, corta vírus transportados pelo ar usando pontas microscópicas em sua superfície. (Foto: Chihaya Inagaki)

A equipe de desenvolvimento afirmou ter confirmado que a “máscara” é eficaz contra quatro tipos de vírus, cada um com características diferentes.

A equipe teve a ideia do “Kurumask” inspirando-se em um estudo realizado por pesquisadores de uma universidade que descobriu que pontas microscópicas na superfície das asas das libélulas trabalham para mantê-las limpas.

O produto de alumínio usa a mesma tecnologia à prova de ferrugem, na qual uma reação química cria picos na superfície do material.

Engenheiros que desenvolveram um carro para transportar pacientes com Covid-19 também se uniram ao projeto “Kurumask” para ajudar a fornecer aos motoristas um ambiente mais seguro, disse a equipe.

Fonte: Asahi Shimbun/Chihaya Inagaki

Curtir e Compartilhar: