Curtir e Compartilhar:

WASHINGTON – As investigações da suposta interferência russa nas eleições presidenciais de 2016 nos EUA, ainda não encontraram provas concretas de que Donald Trump cometeu crime de conspiração.

O procurador especial Robert Mueller, responsável pelo caso, inocentou Trump da acusação, mas não descarta a possibilidade do presidente americano estar envolvido em outros crimes, como o de obstrução de justiça.

O relatório contendo os resultados da investigação foi enviada no domingo (24) ao Congresso dos EUA e entrará em análise. A maior suspeita investigada era a participação russa nas eleições 2016 dos EUA, entre os então candidatos à presidência, Donald Trump e Hillary Clinton.

Acreditava-se que os russos haviam ajudado Trump a chegar à presidência por meio de ataques cibernéticos, que deixaram a candidata Clinton em desvantagem. No entanto, nenhuma prova de um acordo e cooperação entre Trump e os russos foi confirmaa, mesmo depois de 22 meses do início das investigações.

As investigações continuarão ocorrendo, mas por enquanto, o presidente americano aproveitou para comentar o resultado em sua conta oficial no Twitter, dizendo: “Sem coluio, sem obstrução, completa e total inocência. Mantenha a América grande!”.

Fonte: NHK WEB NEWS, TV Asahi 

 

Curtir e Compartilhar: