Curtir e Compartilhar:

O governo japonês segue com seus planos de enviar as Forças de Autodefesa para o Estreito de Ormuz.

Tóquio pretende garantir uma rota segura para seus navios comerciais e petroleiros, após um deles ter sido atacado por grupos radicais na metade do ano.

O governo dos EUA anunciou na quinta-feira (7) a criação de uma força conjunta internacional para garantir a segurança nos estreito, mas o Japão decidiu não participar da aliança e resolveu tomar as suas próprias medidas.

Com a decisão japonesa, fica claro que a intenção do gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe de enviar navios das Forças de Autodefesa para fora do país, algo raro desde que o Japão perdeu a Segunda Guerra Mundial.

A forma como será feita as operações de escolta ainda não foram definidas, mas o anúncio deve ser feito em breve. O Japão também estuda como realizar a escolta considerando os interesses e liberdades dos países da região, como o Irã, com quem mantem relações diplomáticas amigáveis.

Curtir e Compartilhar: