Curtir e Compartilhar:

TÓQUIO (IPC Digital) – Uma atriz japonesa de 20 anos, que teria sido obrigada a atuar cenas de filmes pornográficos por força de contrato, ganhou uma ação judicial e receberá ¥24 milhões de indenização por danos morais e físicos, informou o The Japan Times. Segundo os advogados da atriz, esse é o primeiro caso legal do tipo no Japão.

A atriz alega que foi abordada por um agenciador quando ainda era uma estudante do ensino médio, com a promessa de que se tornaria uma estrela de TV. Desavisada, ela assinou um contrato de trabalho com jargões jurídicos que diziam que o trabalho também incluiria “uma série de trabalhos obscenos”.

Quando ela tentou se demitir, a empresa ameaçou de processá-la legalmente por danos causados pelos futuros trabalhos que ela não realizaria –  ¥2,2 milhões por trabalho não realizado.

Ao completar 20 anos, ela foi escalada para fazer um filme pornô. Aterrorizada, ela foi forçada a fazer sexo com homens que não conhecia, mesmo se queixando de dor em seus orgãos genitais. Segundo seus advogados, ela pensou em suicídio.

Na sentença, o juiz Katsuya Hara disse que os atores e atrizes de filmes pornográficos não podem ser forçados a fazer sexo contra a sua vontade, indicando que esse tipo de contrato de trabalho poderia ser cancelado sem complicações legais.

Curtir e Compartilhar: