Curtir e Compartilhar:
Treinamento inédito envolveu 3.900 moradores de três províncias

SHIZUOKA – A recente erupção registrada no Monte Ontake, o segundo vulcão mais alto do Japão, reacendeu nos japoneses o medo de que o mesmo venha a ocorrer em breve no Monte Fuji.

Para amenizar os possíveis danos, governos de três províncias realizaram treinamento inédito no domingo, 19, num cenário similar ao de 1707, quando o Monte Fuji entrou em erupção e lançou cinzas que alcançaram Tóquio.

Cerca de 4 mil pessoas participaram das atividades em 26 cidades das províncias de Shizuoka, Yamanashi e Kanagawa. O treinamento também serviu para os governos locais se coordenarem no exercício conjunto.

Na simulação, o roteiro indicava que a Agência de Meteorologia teria previsto a erupção com um a dois meses de antecedência, e ela ocorreria em um domingo a 2 mil metros do Monte Fuji, na área que pertence à cidade de Gotenba (Shizuoka).

Segundo estimativa oficial, cerca de 470 mil moradores de Shizuoka, Yamanashi e Kanagawa teriam de ser evacuadas caso o Monte Fuji volte à ativa

Dentro desse cenário, as pessoas foram deslocadas para os abrigos mais seguros. Mais de 20 blocos de concreto pesando cerca de 2 toneadas cada formariam uma barreira para evitar que a lava escorresse em direção à cidade.

Segundo estimativa oficial, cerca de 470 mil moradores de Shizuoka, Yamanashi e Kanagawa teriam de ser evacuadas caso o Monte Fuji volte à ativa. No caso dele expelir lava, o número saltaria para 689 mil pessoas, com interrupção de vias importantes, como a linha de shinkansen Tokaido e a rodovia expressa Tomei.

Além do pânico na população, a erupção do Monte Fuji provocaria problemas de saúde em mais de 12 milhões de pessoas devido à inalação de cinzas e prejuízos econômicos estimados em 2,5 trilhões de ienes.

O Japão está situado no anel de fogo do Pacífico e conta em seu território com mais de uma centena de vulcões ativos e inativos.

Curtir e Compartilhar: