Curtir e Compartilhar:

As três maiores associações econômicas do Japão se reuniram na segunda-feira (7) para discutir a nova política de imigração do governo japonês, que pretende receber 340 mil estrangeiros nos próximos 5 anos.

Líderes da Keirendan (Federação Japonesa de Negócios), da Câmara Japonesa de Comércio e Indústria e da Associação Japonesa de Executivos participaram também, de uma coletiva de imprensa logo após a reunião realizada em Tóquio.

O presidente da Keirendan, Hiroaki Nakanishi, disse que: “A vinda de pessoas de diferentes nacionalidades ao Japão é muito bom, pois eles podem ajudar o país a deixar para trás a tendência nacional de se fechar na própria cultura”.

Ele continuou dizendo que: “2019 será um ano de extrema importância para descobrirmos se somos capazes de receber trabalhadores com diferentes formas de pensamento”.

Já Akio Mimura, principal representante da Câmara Japonesa de Comércio e Indústria avaliou a “abertura dos portões” como um grande passo. Ele não acredita que os estrangeiros chegarão ao país para roubar o trabalho dos japoneses, uma vez que o problema de mão-de-obra tem piorado todos os anos.

O representante da Câmara cobrou também, medidas governamentais que facilitem a entrada de idosos e mulheres no mercado de trabalho. Mimura aponta que a mão-de-obra estrangeira não será o suficiente para suprir todas as deficiências de trabalhadores do país.

Por sua vez, Yoshimitsu Kobayashi, representante da Associação Japonesa de Executivos chamou atenção para a necessidade do país investir em educação em língua estrangeira.

O executivo propôs também a criação de uma organização para fiscalizar e promover o ensino de língua estrangeira.

Os dois novos vistos de trabalho e a nova lei de imigração entrarão em vigor a partir de abril de 2019. As autoridades do país correm contra o tempo para preparar a estrutura necessária para receber os novos trabalhadores.

Fonte: Jiji.com

Curtir e Compartilhar: