Curtir e Compartilhar:

O ex-presidente Lula acabou de sair da prisão, mas já começou os ataques ao presidente, Jair Bolsonaro.

O petista discursou no sábado (9) em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e criticou o atual presidente. Lula disse que Bolsonaro foi eleito para governar para os brasileiros, não os milicianos do Rio de Janeiro.

Os ataques do petista foram direcionador também para o ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, o procurador da República Deltan Dallagnol e a Operação Lava Jato.

O discurso de Lula durou cerca de 1 hora e o discurso mostra o tom que será adotado pelo político de esquerda contra seu rival de direita, Bolsonaro.

“Não adianta ficar preocupado com as ameaças que eles fazem na televisão. Que vai ter miliciano, que vai ter o AI-5 outra vez. A gente tem que ter a seguinte decisão: esse país é de 210 milhões de habitantes e a gente não pode permitir que os milicianos acabem com esse país que nós construímos”, disse em ataque ao governo de Jair Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro não tardou para responder e chamou Lula de “canalha” e “presidiário” em uma rede social, como é costume desde o início de sua campanha para a presidência.

“Não responderei a criminosos que por ora estão soltos. Meu partido é o Brasil!”, disse Bolsonaro.

“Amantes da liberdade e do bem, somos a maioria. Não podemos cometer erros. Sem um norte e um comando, mesmo a melhor tropa, se torna num bando que atira para todos os lados, inclusive nos amigos. Não dê munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa” escreveu o presidente.

Especialistas na política brasileira preveem uma elevação da polarização no Brasil entre a extrema esquerda de Lula e a extrema direita de Bolsonaro. O embate entre os dois pode ser prejudicial ao Brasil, já que os dois lados podem colocar interesses ideológicos acima dos interesses do país.

Curtir e Compartilhar: