Curtir e Compartilhar:

LONDRES – O número de brasileiros barrados em países da União Europeia aumentou 42% entre 2017 e 2018, segundo dados da Eurostat, empresa responsável por produzir estatísticas para países do bloco.

Em 2017 foram registrados 4.680 casos, contra 6.615 ocorrências em 2018. A maioria dos problemas envolvendo brasileiros foram registrados no Reino Unido e em Portugal, dois dos maiores destinos de entrada dos brasileiros.

Os turistas brasileiros têm a entrada barrada em situações nas quais não têm passagem de volta, dinheiro suficiente para ficar no país durante o período, comprovante de hospedagem, passaporte válido por no mínimo três meses ou comprovante de trabalho ou renda no Brasil.

A suposição dos agentes de imigração é que essas pessoas não pretendem fazer turismo, mas, sim, viver no país sem a documentação necessária, ou seja, ilegalmente.

“Todos os que chegam na fronteira do Reino Unido são admitidos a partir de seus méritos individuais e com base na evidência disponível, de acordo com as regras de imigração”, disse, em nota enviada por e-mail, um porta-voz do Ministério do Interior britânico para justificar o aumento de casos de brasileiros barrados no país.

Além de Reino Unido e Portugal, outros países da União Europeia registraram aumento no número de brasileiros barrados, sendo este o caso da Alemanha (70 para 140 pessoas), Irlanda (170 para 525 pessoas) e França (420 para 730 pessoas).

Os principais motivos para o aumento é que há mais brasileiros dispostos a deixar o Brasil para viver no exterior, ainda que ilegalmente, além de uma maior restrição dos europeus em suas fronteiras.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil estima que, atualmente, existem quase 3,6 milhões de brasileiros vivendo em outros países. Em 2013 o número era de 2,8 milhões de pessoas.

A saída de brasileiros do país se deve ao atual e instável cenário político e econômico, com mais desemprego e menos perspectiva de estabilidade futura. Com a situação ruim, muitos brasileiros buscam oportunidades no exterior.

Uma grande parte se desloca para os EUA, mas a Europa também é um destino atraente para os brasileiros. Outros, como é o caso dos que têm descendência japonesa, deixam o Brasil e a situação ruim do país para tentar a vida no Japão, já que não enxergam um grande futuro em terras verde-amarelas.

Fonte: G1

Curtir e Compartilhar: