Curtir e Compartilhar:

(KAWASAKI, IPC.Digital) Os vizinhos do autor do atentado em Kawasaki disseram que sabiam um pouco sobre o homem que entrou em surto e esfaqueou 19 pessoas, crianças e adultos, na manhã de terça-feira (28) em um ponto de ônibus escolar.

O atentado ocorreu por volta das 7:40 da manhã em uma rua perto da Estação Noborito na Linha Nambu da East Japan Railway Co e na Linha Odakyu Odawara da Odakyu Electric Railway Co.

Ryuichi Iwasaki, de 51 anos, tinha poucas relações com seus vizinhos, embora um dos vizinhos o achasse que ele era mal-humorado.

Quarenta minutos antes do incidente que causou duas mortes, várias lesões, e um fim em seu suicídio, Iwasaki disse ”bom dia” a uma vizinha, uma ocorrência incomum de acordo com ela, e logo após Iwasaki teria seguido na direção da estação de trem próxima.

De acordo com a mesma testemunha, eles tiveram uma relação difícil desde quando Iwasaki tocou a sua campainha no verão passado para reclamar que um ramo do Jardim da mulher havia crescido sobre a calçada e teria atingido-o nos olhos.

Alguns disseram que Iwasaki frequentou escolas locais de ensino fundamental e médio, mas poucas pessoas sabem muito sobre ele.

“Eu não consigo acreditar que ele causaria um incidente tão horrível”, disse outra vizinha, que acrescentou que teria visto Iwasaki andando alguns dias atrás, de cabeça baixa e carregando algumas sacolas de compras.

Uma poça de sangue foi deixada no local onde os estudantes de uma escola primária próxima foram atacados durante alguns minutos enquanto esperavam por um ônibus escolar.

Das vítimas fatais, uma menina de 11 anos, identificada como Hanako Kuribayashi, da região de  Tama, no oeste de Tóquio, e Satoshi Oyama, 39 anos, funcionário do Ministério das Relações Exteriores, que era pai de um aluno ileso, faleceu após não resistir ferimentos profundos, segundo policiais e médicos do hospital que os socorreram.

Oyama, um intérprete de língua de Myanmar, também sofreu cortes nas costas, que ele poderia ter recebido enquanto tentava proteger as crianças, disseram as fontes de investigação.

Duas garotas e uma mulher de 40 anos sofreram ferimentos graves no ataque, disse a polícia

Iwasaki, autor do crime, se esfaqueou no pescoço logo após o atentado e morreu no hospital.

Satoru Shitori, vice-diretor da escola primária Caritas, descreveu o horror que ocorreu quando ele ajudava as crianças a entrar em um ônibus.

“Quando terminei de ajudar seis crianças a embarcarem no ônibus, eu ouvi outras crianças gritando no final da fila”, disse Shitori em entrevista coletiva. Foi quando ele viu o suspeito, segurando o que pareciam facas compridas, fugindo a pé.

O vice-diretor chamou a polícia pelo seu celular enquanto checava as condições dos estudantes feridos. “Comecei a correr atrás do suspeito, mas depois vi o motorista sair do ônibus para perseguí-lo”, disse ele.

Muitas das vítimas sofreram ferimentos no pescoço e também podem desenvolver o transtorno de estresse pós-traumático, de acordo com os hospitais que os tratam.

Cerca de dez crianças foram observadas, deitadas no chão, enquanto outras sentaram-se na calçada perguntando por seus pais.

Os pais chegaram à escola particular católica para buscar seus filhos enquanto o conselho local de educação se esforçava para coletar informações sobre o ataque.

“Ouvi da escola que minha filha estava dentro do ônibus (quando o ataque aconteceu). Ouvi dizer que ela está bem, mas ainda não consegui vê-la”, disse o pai de uma aluna da primeira série.

Curtir e Compartilhar: