Curtir e Compartilhar:

O médico chinês que foi repreendido pela polícia por tentar soar o alarme nos primeiros dias do surto de coronavírus morreu nesta sexta-feira(7).

Li Wenliang, era um oftalmologista de 34 anos. Ele trabalhou em um hospital em Wuhan.

As reportagens da mídia chinesa dizem que Li enviou um aviso em um grupo de bate-papo online no dia 30 de dezembro. Ele contou ao grupo sobre uma nova infecção viral que ele acreditava ser semelhante à SARS, iniciada em 2003.

Ele foi convocado pela polícia local alguns dias depois. As autoridades o repreenderam por espalhar informações falsas e perturbar gravemente a ordem social.

Ele continuou trabalhando no hospital, mas foi hospitalizado em janeiro, após desenvolver febre e tosse. Mais tarde, foi confirmado que ele estava infectado com o novo coronavírus.

Li manifestou mais preocupações na plataforma da rede social Weibo. Ele questionou o por quê das autoridades  negarem a existência de transmissões de homem para homem. Ele também se perguntou por que as autoridades continuavam negando que a doença estivesse se espalhando dentro dos hospitais.

A notícia da morte de Li desencadeou uma manifestação online de elogios e luto pelo médico.

Muitas pessoas também criticaram as autoridades. Alguns exigiram que a polícia se desculpasse. Outros disseram que é tarde demais para as autoridades se arrependerem do mau tratamento do surto.

Curtir e Compartilhar: