Curtir e Compartilhar:

Estudantes e aposentados se uniram para protestar em Hong Kong neste sábado (30), no primeiro de vários atos planejados para o fim de semana, enquanto ativistas pró-democracia prometeram combater o que dizem ser brutalidade policial e prisões ilegais.

As autoridades de Hong Kong planejam criar um comitê especial para lidar com a crise, que segue por mais de quatro meses. A situação se acalmou um pouco com o fim das eleições da semana passada, que deu uma vitória esmagadora aos candidatos pró-democracia. No entanto, os movimentos contrários ao governo continuam.

“Eu saí para o protesto pacífico em junho, quando havia mais de um milhão de pessoas, mas o governo não atendeu às nossas demandas”, disse uma mulher de 71 anos, que se identificou como Ponn, no distrito central de Hong Kong.

“Vi tanta brutalidade policial e prisões ilegais. Não é Hong Kong que conheço. Vim hoje porque quero que o governo saiba que não estamos felizes com o que fizeram à nossa geração”, disse Ponn, que compareceu com a filha e o genro.

Curtir e Compartilhar: