Início Nacional Para garantir mão-de-obra, cerca de 1/4 das empresas japonesas permitem a seus...

Para garantir mão-de-obra, cerca de 1/4 das empresas japonesas permitem a seus funcionários trabalharem depois dos 65 anos

914
Curtir e Compartilhar:

Um total de um quarto das empresas japonesas mantêm pessoas acima dos 65 anos em seu quadro de funcionários, segundo pesquisa realizada pelo governo japonês.

Diante da queda no número de filhos e do envelhecimento de sua população, o Japão tem sofrido com o problema da falta de mão-de-obra e o governo considera que os idosos são uma da solução para a questão.

As lideranças de Tóquio querem aumentar a participação dos idosos no mercado de trabalho e estudam medidas para tornar a lei de aposentadoria, que estipula o trabalho até os 65 anos, mais flexível.

Para isso, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão realizou uma pesquisa com 150 mil empresas do país de pequeno, médio e grande porte, para saber quantas empregam idosos mesmo depois dos 65 anos.

Os resultados mostram que independente das leis, 27,6% das empresas adiam o período de aposentadoria de seus funcionários ou permitem a eles continuarem trabalhando até quando eles desejarem. Outras deixam seus funcionários se aposentarem e posteriormente os empregam de novo.

Entre as empresas, 2% estipularam leis internas que permitem a aposentadoria depois dos 65 anos, enquanto 2,6% das companhias aboliu o sistema de aposentadoria por tempo de trabalho, o que na prática, significa que o funcionário trabalha até quando desejar.

A tendência de permitir a aposentadoria tardia é mais comum em empresas de pequeno e médio porte, pois são as mais afetadas pela falta de mão-de-obra, tomando várias medidas que fogem do tradicionalismo das companhias maiores.

Diante dos números o governo japonês continua a estudar alterações na aposentadoria, permitindo a seus funcionários trabalharem até os 70 anos de idade, embora independente da tomada de decisão do governo, as empresas têm criado as suas próprias regras.

Fonte: NHK WEB NEWS

Curtir e Compartilhar: