Curtir e Compartilhar:

No Japão, cerca de 60% das pessoas que estavam com sintomas do tipo resfriado, foram trabalhar durante a primeira onda da pandemia de coronavírus (fevereiro e maio) e não atenderam o pedido feito pelo governo para não saírem de suas casas, segundo uma pesquisa recente.

Das 1.226 pessoas com idades entre 20 e 79 anos que vivem em Tóquio e áreas vizinhas que responderam à pesquisa, 82 disseram ter febre e outros sintomas do tipo resfriado, que poderiam ter sido os primeiros sinais do COVID-19, a doença respiratória causada pelo coronavírus. .

Na pesquisa on-line realizada em meados de maio por uma equipe liderada por Masaki Machida, professor assistente da Universidade de Medicina de Tóquio, 62% dos que não se sentiam bem disseram que foram trabalhar durante o período, enquanto 17% disseram que permaneceram casa ou só saiu para ir a um hospital.

A pesquisa mostrou que os funcionários de empresas e aqueles com profissões que não são consideradas compatíveis com o trabalho remoto, também exerceram o ofício normalmente.

Ele também descobriu que pessoas de Ibaraki, Tochigi e Gunma – prorvíncias que não compartilham fronteiras com Tóquio – foram para o trabalho em escritórios, mesmo com sintomas do tipo resfriado, possivelmente porque o número de infecções por COVID-19 era relativamente baixo nessas áreas naquele momento.

“Ficar em casa quando as pessoas não estão se sentindo bem é muito importante para evitar a propagação de infecções. O ambiente social no trabalho deve ser melhorado para facilitar o descanso dessas pessoas “, disse um representante da equipe liderada por Machida ao reportar os resultados da pesquisa.

Dos 82 que apresentaram sintomas do tipo resfriado, 71% disseram que saíram para fazer compras e 21% foram para restaurantes.

Os entrevistados puderam escolher várias respostas. Não se sabe se algum deles foi infectado com o novo coronavírus.

 

 

Fonte: Kyodo

Curtir e Compartilhar: