Presidente Temer afirma que reforma previdenciária protegerá pobres que pagam pelos que...

Presidente Temer afirma que reforma previdenciária protegerá pobres que pagam pelos que ganham muito no serviço público

COMPARTILHAR

O presidente Michel Temer participou, na noite desta terça-feira (5), na Zona Sul de São Paulo, da cerimônia de entrega do título de “Brasileiro do Ano”, pela Revista IstoÉ, dado ao juiz Sérgio Moro.

Em seu discurso, durante premiação em São Paulo, afirmou que a reforma da Previdência visa acabar com privilégios e irá proteger pobres que, segundo ele, “pagam pelos que ganham muito no serviço público”. E disse também que é preciso eliminar “certos preconceitos”, negando que “a partir de amanhã” já estariam valendo exigência dos 65 anos para se aposentar.

Logo em seguida, Temer deixou de detalhar o assunto e disse que “não vale a pena tratar desses temas”, e voltou a falar da premiação.

Reforma

A proposta de reforma da Previdência enviada pelo governo ao Congresso em dezembro de 2016 já foi aprovada pela comissão especial da Câmara em maio deste ano, porém não avançou por falta de consenso entre os parlamentares.

Principais mudanças

O governo cedeu em vários itens, reduzindo a reforma a quatro pontos principais:

  • Idade mínima de aposentadoria, com a regra de transição até 2042; 62 anos para mulheres e 65 para homens (INSS e servidores); 60 para professores de ambos os sexos; 55 anos para policiais e trabalhadores em condições prejudiciais à saúde;
  • Tempo mínimo de contribuição de 15 anos para segurados do INSS e de 25 anos para servidores públicos;
  • Novo cálculo do valor da aposentadoria, começando de 60% para 15 anos de contribuição até 100% para 40 anos;
  • Receitas previdenciárias deixam de ser submetidas à DRU (Desvinculação de Receitas da União)