Curtir e Compartilhar:

ELZA NAKAHAGI (IPC Digital) – Nós, brasileiros, não estamos muito acostumados com o inverno como o do Japão, e recorremos a vários utensílios para amenizar o frio. Muitas pessoas não têm informação de que determinados eletrodomésticos podem causar danos imperceptíveis, só se dando conta da gravidade da situação horas depois. Por isso, gostaria de informar sobre queimadura, mas com foco principalmente aquelas que acontecem por tempo de contato (exposição) aos aquecedores elétricos.

A queimadura é a injúria da pele causada pelo contato com algum objeto ou elemento de temperatura acima da corpórea.

A mais conhecida é por alta temperatura causada pelo fogo, óleo ou água ferventes, ferro quente etc. Mas há também a queimadura por tempo de contato com a pele, causada principalmente com aquecedores domésticos (carpete elétrico, cobertor elétrico, emplasto térmico, bolsa térmica).

Estudos revelam que a queimadura ocorre em tempo inversamente proporcional ao aumento do grau de temperatura. Por exemplo: o aquecedor térmico a 44 ºC causa queimadura em contato permanente com a pele por 6 horas, enquanto que a 46ºC, a queimadura de terceiro grau ocorrerá em menor tempo, depois de 1 hora e meia.

Os membros inferiores são as partes mais afetadas do corpo, pela baixa circulação sanguínea e pela menor sensibilidade das terminações nervosas. O índice é maior nas mulheres por sentirem mais frio do que os homens, e acabam utilizando aquecedores portáteis e bolsa térmica não elétrica (hottokairo, yutampo) com mais frequência.

O uso desses equipamentos por diabéticos, pessoas que tomam medicamentos soníferos ou embriagadas, pessoas portadoras de deficiência sensitiva ou com cansaço excessivo, requerem cuidados especiais por não perceberem o estado da silenciosa injúria.

É importante alertar aos adultos que deixam seus filhos, principalmente bebês, em repouso ou brincando sobre os carpetes térmicos. Ao comprá-los, escolha os carpetes que tenham termostato e ajuste-os para uma temperatura baixa ao usá-los.

O tratamento depende do grau, local e SCQ (área de Superfície Corporal Queimada); porém, quando perceber a lesão, afaste-se imediatamente do aparelho que a causou, resfrie com água corrente e não fure a bolha, caso haja. Procure um médico para tratamento adequado.

O mais importante é a prevenção. Evitar o uso contínuo do aparelho ligado, desligando-o de tempo em tempo, além de controlar a temperatura. No caso do cobertor térmico ou bolsa térmica, deve-se ligar o temporizador para uma a duas horas. Não esquecer que a hidratação durante o seu uso auxilia a manter o equilíbrio hídrico.

Por: Elza S.M.Nakahagi, médica do SABJA-Disque-Saúde do Conselho de Cidadãos do Consulado Geral do Brasil em Nagoia. Autora dos dicionários e aplicativos de Termos Médicos e Odontológicos. (SABJA-Disque-Saúde tel: 080-4083-1096, 050-6864-6600)

Curtir e Compartilhar: