Curtir e Compartilhar:

Uma pesquisa da McKinsey & Company estima que cerca de 800 milhões de pessoas perderão os seus empregos para robôs ou para a automação nos próximos 13 anos em países desenvolvidos.

O relatório publicado pela empresa estima que o número representará cerca de 10% da população mundial em 2030, ou seja, todas essas pessoas terão as suas vagas roubadas por robôs.

A McKinsey examinou um total de 46 países com alto índice de desenvolvimento econômico e humano, além de 800 áreas profissionais.

As conclusões variam de acordo com o país, mas a tendência é que países como Japão, Coreia do Sul, EUA, Inglaterra, entre outros, tenham uma diminuição na mão-de-obra braçal ou em trabalhos repetitivos de escritório.

A principal conclusão do novo estudo é que não somente as ocupações de baixo salário e baixa capacitação técnica, mas também, os trabalhos relacionados a atividades repetitivas ou de manuseio de dados podem estar com os dias contados.

A pesquisa listou os empregos que podem deixar de existir e outros que dificilmente deixarão de existir, e a lista você pode conferir logo abaixo. Lembrando que a lista diz respeito a situação dos países desenvolvidos.

Empregos que podem desaparecer com a automação: 

  • Operador de máquinas em fábricas ou em construções
  • Lavador de pratos em restaurantes, lanchonetes, bares e etc
  • Operador em fábrica de alimentos processados
  • Funcionário de escritório
  • Garçom

Empregos que dificilmente desaparecerão mesmo com a automação: 

  • Profissional da área médica (médico, enfermeiro, helper, etc)
  • Engenheiro da computação
  • Professor de escola ou universidade

De um modo geral, as ocupações repetitivas ou que não exigem muito raciocínio podem ser incluídas na primeira lista, enquanto trabalhos mais especializados e que necessitam de muito conhecimento vão na segunda.

A McKinsey concluiu que a introdução de robôs em áreas tradicionais da indústria não é uma notícia ruim. Ela vai liberar os homens para adquirir novas habilidades e aqueles que se mantiverem atualizados e com mais conhecimentos, poderão encontrar novos caminhos, mesmo que percam os seus empregos para os robôs.

No Japão, o rápido envelhecimento da população abrirá muitas vagas para helpers. Essa área não deve sofrer com o domínio dos robôs, uma vez que a inteligência artificial atual e, possivelmente, da década seguinte não darão conta de perceber todas as necessidades de um idoso.

Estima-se que metade da população japonesa precise procurar por outros empregos em 2030. O número será menor nos EUA, com 1/3 da população e, ainda menor na Inglaterra, com 1/5 da população perdendo o emprego para automação.

Fonte: BUSINESS INSIDER Japan

Curtir e Compartilhar: