Curtir e Compartilhar:

ELZA NAKAHAGI (IPC Digital) – É muito frequente as crianças (ou mesmo, nós adultos) levarem um escorregão e terem os braços e pernas, principalmente os joelhos e cotovelos “ralados”. Se não for uma lesão muito grave, que necessite suturar (dar pontos), os próprios pais podem fazer os curativos em casa, por isso, é importante ter conhecimentos corretos para uma boa recuperação.

Até há pouco tempo, o curativo era feito de tal maneira que, além de ser dolorido, retardava a consolidação e regeneração do tecido lesado, pois, passava-se desinfetante e cobria-se com gaze ou atadura tipo Band-Aid. Ao trocar o curativo, retirava-se junto aquele tecido granuloso grudado na gaze, importante para a formação da nova pele.

O desinfetante (mercúrio, merthiolate, iodo, água oxigenada, etc) elimina os micróbios prejudiciais, mas ao mesmo tempo, remove o tecido de regeneração, além de fazer a criança sofrer com ardor e medo para trocar o curativo.

Estudos recentes comprovam que as feridas abertas como “raspão” devem ser lavadas imediatamente com água e sabão e simplesmente serem vedadas com filme higiênico protetor, aquele semelhante ao filme de cozinha para reserva de alimentos.

O líquido amarelo transparente que sai da ferida contém justamente os leucócitos e outras células que recompõe o tecido. Aparentemente, o aspecto úmido com secreções, confunde-se com um processo infeccioso, porém, uma vez lavadas e retiradas as sujeiras que aderiram no momento do machucado, o organismo cuida da recuperação.

Nas farmácias e drogarias estão à venda os filmes higiênicos revestidos por uma fina camada de gel de coloide, cujo nome de um dos produtos comerciais é DUOACTIVE (pronuncia-se em japonês, duoakutibu).

A camada de gel protege contra secura e o filme é impermeável, permitindo tomar banho.
Resumindo, o curativo deve ser feito da seguinte maneira:

  1. lavar o local e secar. Caso haja sangramento, pressionar o local com toalha limpa até que pare o sangramento e seque. Não usar absolutamente nenhum desinfetante.
  2. cortar o filme em tamanho um pouco maior do que o ferimento e aderir à pele. Não é necessário usar o esparadrapo.
  3. trocar o DUOACTIVE quando este começar a ficar esbranquiçado com extravasamento de líquido da ferida. (não há dor no momento da troca do filme pois este não está grudado na ferida, que também não está ressecada em forma de cascão ).
  4. No início, trocar o filme a cada 2 dias, depois espaçar para cada 4 ou 5 dias conforme a melhora. As secreções se tornam cada vez mais escassas.
  5. uma a 2 semanas após, o filme não se torna mais esbranquiçado e não há mais presença de secreções, o que indica recuperação total.

CUIDADO: caso haja piora ao invés de melhora, isto é, caso apresentar febre local, inchaço, vermelhidão e dor da área afetada, procurar imediatamente o dermatologista. Ferimentos por mordida de animais e materiais enferrujados devem ser tratados nas instituições médicas.

Por: Elza S.M.Nakahagi, médica do SABJA-Disque-Saúde do Conselho de Cidadãos do Consulado Geral do Brasil em Nagoia. Autora dos dicionários e aplicativos de Termos Médicos e Odontológicos.

Curtir e Compartilhar: