Curtir e Compartilhar:

A halitose é a emanação de mau cheiro bucal e fluxo expiratório cujo sintoma é desagradável tanto para a própria pessoa como também para as pessoas ao seu redor, mesmo entre namorados e cônjuges, pois, um pouco diferente de outros sinais, não é fácil dizer à outra pessoa: “você tem mau hálito!”.

É normal amanhecer com mau hálito pois durante o sono a salivação é pouca e há proliferação de bactérias que emanam “gases”, além da hipoglicemia devido ao jejum. Após higiene bucal correta com escovação de dentes e da língua, este mau hálito matinal deve desaparecer. Caso o odor permaneça, deve ser investigada a causa e tratá-la.

Nos casos de halitose crônica, muitas vezes, a própria pessoa não percebe o sintoma por fadiga olfatória, isto é, o olfato se acostuma com este mau cheiro e fica insensível ao seu odor. Por outro lado, aqueles que têm períodos de halitose alternados com períodos de normalidade sentem incômodo com esta situação.

As principais causas da halitose são:
  1. consideradas como fisiológicas (processo adaptativo do organismo pela idade, por alterações hormonais da adolescência ou gestação, ingestão de alguns alimentos (cebola, cebolinha, alho, peixe, etc.);
  2. hábito diário (longas horas de sono, bebida alcoólica, fumo);
  3. estresse emocional;
  4. problemas odontológicos (cárie, gengivite, tártaro, má higiene da língua com presença da saburra);
  5. disfunção gástrica (úlcera gástrica, hepatite),
  6. outras enfermidades como a rinite, sinusite, amigdalite com cáseos (placa esbranquiçada), estado febril, desidratação, bronquite crônica e diabetes devem ser consideradas.

O tratamento consiste em eliminar a causa e tratar a enfermidade de origem. O mau hálito pode ser prevenido com uma correta higiene dos dentes e uso de fio dental, boa higiene da língua e da prótese dentária, caso a utilize. Aconselha-se fazer, consultas anuais ao dentista para retirar tártaros, verificar cáries e avaliar o estado gengival.

Tomar um copo de leite ou comer maçã logo após a ingestão de alimentos que causam odor auxilia o fluxo expiratório desagradável. Há estudos da clínica de odontologia japonesa que orienta os pacientes portadores de halitose a aplicar o iogurte natural sem açúcar na gengiva e dentes (como se fosse escová-los com o iogurte) após a escovação final do dia e dormir sem cuspir. Ao amanhecer, fazer bochecho e cuspir o conteúdo. Pensa-se que os bacilos do iogurte competem com as bactérias orais produtores de odor dando efeito desejado.

Por: Elza S.M. Nakahagi, médica do SABJA-Disque-Saúde do Conselho de Cidadãos do Consulado Geral do Brasil em Nagoia. Autora dos dicionários e aplicativos de Termos  Médicos e Odontológicos.

Curtir e Compartilhar: