Curtir e Compartilhar:

ELZA NAKAHAGI (IPC Digital) – Geralmente, tem-se ideia de que a pneumonia ocorre no inverno. De fato, o frio propicia a infecção por vários motivos, entre eles, há muitos vírus que se multiplicam no clima seco, o ambiente fechado facilita a contaminação, e os cílios das vias aéreas superiores se tornam menos ativas na corrente de ar gelada, facilitando a entrada de germes aos pulmões.

No verão japonês, existe a chamada “pneumonia por hipersensibilidade ao verão” (em japonês chama-se NATSUGATA KABINSEI HAIEN), pouco conhecida entre os brasileiros por não ser frequente no nosso país.

Os sintomas são semelhantes à gripe comum, apenas tosse, febrícula e indisposição. Até o médico pode diagnosticar com o sendo gripe e tratá-la com medicamentos sintomáticos comuns, com aparente êxito.

Contudo, na mesma época do ano seguinte, os sintomas podem voltar; assim repetir nos próximos anos também. A cada episódio, os pulmões vão se enfraquecendo gradativamente, tendo sintomas de falta de ar por qualquer atividade extra.

A pneumonia por hipersensibilidade ao verão é de causa alérgica, e mais de 70% são causados por fungos caseiros, os do gênero Trichosporon. O primeiro episódio é agudo, com febre em torno de 38 ºC, dificilmente visível ao exame de raios X de tórax; os episódios dos anos seguintes, ocorrem por entrar novamente em contato com o fungo, a febre é mais discreta, e a tosse persistente faz confundir com asma.

Uma das características é que, quando a pessoa se afasta por um tempo de casa, ou do ambiente contaminado, a tosse desaparece, e volta a tossir, quando retorna para o local. Por isso, se você apresenta uma tosse suspeita, anualmente, vale a pena consultar um especialista pulmonar.

O Trichosporon se prolifera e libera os esporos fúngicos em temperatura acima de 20 ºC e em umidade maior de 60 %; os locais propícios são embaixo da pia da cozinha, banheiro, balneário, ao redor da máquina de lavar roupas, carpetes, tatami e armários embutidos antigos com umidade e pouca ventilação, condicionador de ar cujo filtro não está em condições higiênicas adequadas, entre outros.

O ideal é se afastar do local contaminado, mudando de residência para um local mais arejado que receba raios solares principalmente matinal. Por higiene do lar, retirar umidade sempre que possível, e secar o assoalho e paredes, pulverizando álcool.

Os filtros do condicionador de ar são facilmente removíveis para serem lavados em água corrente e retirar o pó acumulado com possíveis fungos. Ao ligar o condicionador de ar, é importante deixar a janela aberta, nos primeiros 15 a 20 minutos, para circular o ar que estava parado e eliminar os possíveis fungos.

Curtir e Compartilhar: