Curtir e Compartilhar:

Por: Elza S.M.Nakahagi

Tanto no inverno quanto no verão, quando as crianças ficam doentes apresentam sintomas de vômitos e diarréias que preocupam os pais; 80 a 90 % são de causa viral, e 10 a 15 % são de causa bacteriana. Os poucos restantes são de causa alérgica ou desarranjo fisiológico (excesso de ingestão de guloseimas, doces, gelados etc.).

Entre as causas virais, as infecções mais frequentes são por Rotavirus, Norovirus, Calicivirus (Sapporovirus), Adenovirus intestinal e Enterovirus. No Japão, nesta época do ano, ocorre principalmente por Norovirus, Sapporovirus e Rotavirus.

Primeiro surgem os sintomas de ânsia e vômitos, que permanecem por 2 a 3 dias, depois as diarréias que permanecem por 5 a 7 dias, com uma frequência de 5 até 10 vezes ao dia. As evacuações são líquidas, de cor clara e infiltram nas fraldas. A febre pode estar presente nos primeiros 2 dias, e não é alta.

Os vômitos e diarréias são sintomas que o organismo manifesta para “expulsar as toxinas” liberadas pelo virus, portanto, o importante não é medicar para cessar estes sintomas mas sim, repor as perdas dos líquidos. Esta reposição deve ser feita aos pequenos goles e de maneira constante, em média 50 ml a cada 15 ou 20 minutos, com soro caseiro ou bebida ionizada (Ex: produtos infantis vendidos na farmácia como Akuaraito, ORS – Ooaruesu).

A criança pode querer tomar grande quantidade de líquido em uma vez, mas tenha controle em oferecer aos poucos, pois isso permite a absorção pelo intestino e evita vômito por excesso de conteúdo. Por outro lado, ela pode não aceitar nada, nem aos pequenos goles do soro. Neste caso é importante verificar os sinais de desidratação (olho ressecdo, boca seca, ausência de urina por mais de 6 horas, desânimo geral, etc), e procurar consulta médica, pois poderá ser necessário a hidratação por infusão intravenosa (gotejamento por soro).

Não tenha medo das diarréias, e nem assuste a criança com a sua reação preocupante toda vez que ela soltar as fezes diarreicas. Mantenha calma e também tranquilize a criança explicando-lhe que os “bichinhos-virus” estão saindo do corpo; que em alguns dias ela estará recuperada. Novamente menciono, que o importante é repor o líquido que está sendo perdido.

Quanto à alimentação, ofereça comida leve, de fácil acetiação (sopa, udon picado, missoshiru com verduras picadas, maçã ralada,etc.). Não se preocupe se a criança não estiver comendo como sempre, o apetite voltará naturalmente em dias, assim que o estômago e intestino voltarem a funcionar normalmente.

Como medicação, pode ser dado um anti-vômito (meia hora antes de cada refeição, apenas para conseguir comer sem vomitar), e reposição de bactérias intestinais. Se necessário, pomada para assadura de fralda ou irritação ao redor do ânus.

Por: Elza S.M.Nakahagi, médica do Sabja-Disque-Saúde do Conselho de Cidadãos do Consulado Geral do Brasil em Nagoya. Autora dos dicionarios e aplicativos de Termos Médicos e Odontológicos.

Curtir e Compartilhar: