Curtir e Compartilhar:

TOYOTA – O sistema de emprego vitalício do Japão pode estar com os dias contados, segundo palavras do presidente da Toyota, Akio Toyoda.

Em entrevista na segunda-feira (13) ele afirmou que “será muito difícil manter o sistema de emprego vitalício. Entramos em um período difícil para este sistema”.

No Japão do pós-guerra era comum que as empresas contratassem funcionários para trabalhar durante a vida toda no mesmo lugar. O sistema permitiu o crescimento econômico do Japão e alçou o país a posição de segunda maior economia do mundo em pouco tempo.

No entanto, os tempos mudaram, o Japão experimentou uma recessão na década de 90, a economia japonesa perdeu fôlego e foi ultrapassada pela da China nos últimos anos. Agora, o mundo vive em um momento onde a incerteza nas relações de trabalho, nos relacionamento e em várias áreas da vida ditam as regras.

O sistema de emprego vitalício tem sido criticado pelos principais nomes da indústria japonesa, entre os quais, Akio Toyoda. Ele disse que “não há incentivos para as empresas manterem o sistema”.

Por outro lado, Toyoda vê outras formas de trabalho menos estáveis, mas mais comuns em outros países, como boas chances para as pessoas encontrarem um “trabalho de valor” ou um trabalho que elas queiram fazer. A afirmação do presidente se deve a maior rotação que o mercado de trabalho terá com o fim do sistema de emprego vitalício.

A opinião foi compartilhada pelo presidente da Federação de Indústrias do Japão (Keidanren), Hiroaki Nakanishi, que disse “não pensar em qualquer possibilidade de manter o sistema de emprego vitalício”.

Fonte: TV Asahi 

Curtir e Compartilhar: