Curtir e Compartilhar:

TÓQUIO – Suzuki Motor Corp, Mazda Motor Corp e Yamaha Motor Co. conduziram inspeções de economia de combustível impróprias em veículos novos que somam mais de 6,400 unidades desde 2012, o governo disse quinta-feira.

A nova descoberta segue o Ministério do Transporte que dirigiu 23 fabricantes de veículos japoneses no mês passado para realizar investigações internas depois que a Nissan Motor Co. e a Subaru Corp. admitiram que falsificaram dados sobre emissões ou eficiência de combustível durante as verificações finais dos produtos.

A Suzuki, a Mazda e a Yamaha Motor mediram as emissões ou dados de eficiência de combustível em testes de alguns veículos, embora certas condições como velocidade, não fossem apropriadas e os testes precisassem ser refeitos conforme estipulado pela Lei de Veículos de Transporte Rodoviário, disse o ministério.

“Não houve alterações de dados, mas é um grande problema termos lidado com um número tão grande de veículos injustamente. Eu levo isso muito a sério”, disse o presidente da Suzuki, Toshihiro Suzuki, em uma entrevista coletiva em Tóquio.

Para a Suzuki, os dados de quase metade de suas quase 13 mil unidades fabricadas entre junho de 2012 e o mês passado em três fábricas na província de Shizuoka, no Japão central, eram impróprias. É outro revés para o fabricante de minicarros, que admitiu em 2016 usar métodos de teste de economia de combustível que não estavam em conformidade com as regulamentações japonesas.

Suzuki disse que o treinamento insuficiente do pessoal e a ausência de supervisão no local por parte dos trabalhadores seniores levaram à inspeção negligente.

O vice-presidente executivo da Yamaha Motor, Katsuaki Watanabe, disse que a gerência do fabricante de motocicletas e a equipe de inspeção não estavam cientes de que os níveis de desvio dos requisitos de velocidade em testes de eficiência de combustível exigiam novos testes.

“Não tínhamos noção de que estávamos fazendo algo errado”, disse Watanabe em uma entrevista coletiva enquanto pedia desculpas por não implementar os procedimentos exigidos por lei.

O Ministério dos Transportes divulgou os resultados com base em relatórios de 20 fabricantes de veículos coletados a partir de quarta-feira.

“É extremamente lamentável. O ministério vai instruir estritamente os fabricantes a garantir que medidas preventivas sejam tomadas”, disse o ministro dos Transportes, Keiichi Ishii, em comunicado.

Dos 1.875 carros da Mazda inspecionados, inspeções inadequadas foram encontradas em quase 4% desde novembro de 2014. Para a Yamaha Motor, cerca de 2% das 335 unidades escolhidas para inspeção não passaram por testes apropriados desde janeiro de 2016, segundo o ministério.

Suzuki, Mazda e Yamaha disseram que tomarão medidas preventivas, como a troca de dispositivos de inspeção para que os funcionários não possam reescrever os dados. O ministério disse que vai instruir os fabricantes de veículos a salvar registros de inspeções e implementar medidas para detectar ou impedir falsificações de dados.

As ações das três empresas caíram na Bolsa de Valores de Tóquio na quinta-feira após a notícia. A Suzuki caiu 6,0%, a Yamaha caiu 4,6% e a Mazda perdeu 1,3%.

A Kobe Steel Ltd. e a Mitsubishi Materials Corp. também estão entre as empresas envolvidas em falsificações de dados de qualidade.

Curtir e Compartilhar: