Curtir e Compartilhar:

A Toyota anunciou na quinta-feira (6), que espera uma queda de 64,1% no lucro líquido no atual ano fiscal até março, para 730 bilhões de ienes (US $ 6,9 bilhões), uma vez que a pandemia global de coronavírus afeta a demanda de automóveis.

No primeiro trimestre encerrado em junho, o lucro líquido caiu 74,3% em relação ao ano anterior, para 158,84 bilhões de ienes, embora a empresa tenha conseguido permanecer no preto no momento em que seus rivais japoneses e estrangeiros registraram perdas devido ao surto.

O lucro operacional caiu 98,1%, para 13,92 bilhões de ienes, nos três meses, com vendas de 4,60 trilhões de ienes, queda de 40,4%.

É a primeira vez em quatro anos que a Toyota registra quedas nos lucros e nas vendas no primeiro trimestre fiscal.

A Toyota sofreu uma queda de 31,8% nas vendas globais de veículos no mesmo período, mas surgiram sinais de recuperação nas vendas em alguns mercados, como a China. A meta de vendas anual foi aumentada para 9,1 milhões de veículos, ante os 8,9 milhões anteriores.

A montadora manteve suas previsões anuais de lucro operacional e vendas de maio em 500 bilhões de ienes e 24 trilhões de ienes, uma queda de 79,2% e 19,6% em relação ao ano anterior, respectivamente.

Em maio, a empresa não apresentou uma previsão de lucro líquido para o ano fiscal de 2020, citando dificuldade em fazê-lo devido às consequências da pandemia, que interrompeu as operações da fábrica e as cadeias de suprimentos globalmente.

O presidente da Toyota, Akio Toyoda, disse em maio que o impacto da pandemia foi significativamente maior que o da crise financeira global após o colapso do Lehman Brothers em 2008.

Entre outras grandes montadoras japonesas, a Honda Motor Co. e a Nissan Motor Co. mergulharam no vermelho nos três meses até junho, ressaltando os graves golpes causados pela pandemia.

Durante todo o ano, a Honda está projetando uma queda acentuada no lucro líquido e a Nissan espera mais um ano no vermelho, atingida pelo vírus e uma reforma comercial mundial após a prisão do ex-chefe Carlos Ghosn.

A Volkswagen AG também registrou perdas para o período de abril a junho. A montadora alemã perdeu o título de montadora mais vendida do mundo para a Toyota no primeiro semestre de 2020.

Os números de vendas globais da Toyota incluem veículos vendidos por suas subsidiárias, fabricante de carros pequenos Daihatsu Motor Co. e fabricante de caminhões Hino Motors Ltd.

 

 

Fonte: Kyodo

Curtir e Compartilhar: