Início Destaque Trump espera “assinar” acordo com Kim na cúpula histórica

Trump espera “assinar” acordo com Kim na cúpula histórica

141
Curtir e Compartilhar:

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na terça-feira que seu histórico encontro com o líder norte-coreano Kim Jong Un fez progressos “muito positivos” e que os dois lados assinarão um acordo não especificado.

“Nosso progresso é realmente muito positivo, acho melhor do que qualquer um poderia esperar, top de linha, muito bom”, disse Trump a jornalistas enquanto passeava com Kim após o almoço de trabalho, a última parte do encontro de alto nível em Cingapura.

“Estamos indo agora para uma assinatura”, disse Trump, sem fornecer detalhes.

Após a cúpula em que se acredita que os dois líderes discutiram maneiras de alcançar a desnuclearização da Península Coreana e encerrar décadas de hostilidade entre os dois países, Trump deve se reunir com a imprensa às 16h. hora local antes de voltar para casa à noite, de acordo com a Casa Branca.

Na primeira reunião de cúpula entre um presidente dos EUA e um líder norte-coreano, todos os olhos estão voltados para o fato de Kim concordar em desistir do programa de armas nucleares de Pyongyang em troca de garantias de segurança.

No início da terça-feira, Kim se comprometeu a trabalhar com Trump para tratar de “desafios” não especificados.

Em uma reunião ampliada com altos funcionários de ambos os lados, cujo início foi aberto à mídia, Kim disse por meio de um tradutor: “Haverá desafios pela frente, mas trabalharemos com Trump”.

“Superamos todo o tipo de ceticismo e especulações sobre este encontro e acredito que isso seja bom para a paz”, acrescentou Kim.

Trump respondeu, dizendo: “Nós vamos resolver isso … e estou ansioso para trabalhar nisso com você.”

Após o seu primeiro aperto de mão histórico em torno das 9h em uma área de recepção de Capella Cingapura, um hotel de luxo na ilha resort de Sentosa, Trump, com um terno azul com sua gravata vermelha, e Kim, vestindo um terno Mao, fizeram uma reunião one-on-one acompanhados apenas por seus intérpretes, antes de participar da reunião expandida.

Perguntado por repórteres entre as reuniões, se ele desistiu das armas nucleares do Norte, Kim não respondeu.

Trump disse que ele e Kim estavam construindo um “relacionamento muito bom e excelente”.

Além da desnuclearização norte-coreana, Trump e Kim provavelmente também trocaram opiniões sobre como encerrar formalmente a Guerra da Coreia de 1950-1953, que foi interrompida por um armistício, não um tratado de paz.

O armistício, assinado pelo Comando das Nações Unidas liderado pelos EUA, pela Coreia do Norte e pelo Exército Voluntário do Povo Chinês, deixou os principais combatentes tecnicamente em estado de guerra.

Analistas estavam observando para ver se a oferta de Kim de uma reunião com Trump representa uma decisão estratégica de buscar um novo relacionamento com os Estados Unidos ou se é um movimento tático para obter alívio de sanções ou outras concessões sem abandonar as armas nucleares de seu país.

“Temos que obter desnuclearização”, disse Trump no sábado. Chamando a cúpula de terça-feira de “one-time shot” para Kim, Trump disse: “Eu acho que é muito importante para a Coreia do Norte, Coreia do Sul, Japão, o mundo e os Estados Unidos”.

Curtir e Compartilhar: